imprensa

Identificação

25/04/2018

Ibplan prepara revisão de placas identificadoras das ruas de Brusque

Colaborar com os órgãos públicos e, também, com a regularização fundiária do município de Brusque, é o principal objetivo do Instituto Brusquense de Planejamento (Ibplan), que está preparando uma completa revisão das placas identificadoras das estradas existentes na cidade. A mudança, prevista para ocorrer nos próximos três meses, favorece a identificação e distinção das vias oficiais e não oficiais.

De acordo com o arquiteto e urbanista do Ibplan, Ricardo Laube Moritz, três novos leiautes serão instalados. Um deles azul - semelhante aos já existentes em Brusque -, destinados às vias oficiais ligadas ao município. O segundo leiaute é cinza e será colocado nas vias não oficiais do município, mas que são conhecidas comumente por siglas dos bairros e números. As vias do bairro São Pedro continuarão a receber as novas placas na cor marrom.

“Estamos distinguindo essas vias e identificando-as de maneira diferente. A partir desta mudança, identificaremos as ruas não oficiais como ‘via identificada’ e não mais como rua, pois, rua, subentende-se que é pública. De alguma forma, essas vias não são oficiais, então, serão identificadas de forma distinta”, cita.

Todos os três modelos, porém, terão uma novidade. A exemplo do que acontece na cidade de São Paulo, todas conterão um nome principal escrito em tamanho maior do que o nome completo. Um exemplo é a Avenida Cônsul Carlos Renaux, que terá o nome Cônsul escrita de forma destacada.

“Aquele que estiver passando de carro, vai ter a possibilidade de ler o escrito maior, identificando a rua numa leitura mais rápida, já que ele está passando em uma certa velocidade. Enquanto o pedestre terá a opção de visualização da denominação na íntegra, a partir do passeio, em escrita, numa escala apropriada. Essa é a facilidade verificada nestas novas placas. Às vezes tem ruas com quatro nomes juntos, então vamos destacar um, ou dois no máximo, pra tentar facilitar a leitura e a identificação da via”, enfatiza o servidor.

Laube comenta, por fim, que uma das metas também é trazer maior esclarecimento para a população, deixando bastante diferenciado quais as vias são de responsabilidade do município e quais são particulares ou não vinculadas ao domínio público.